Como aproveitar os descontos de final de ano e não comprar por compulsão

Dezembro chegou. Mal saímos da Black Friday, e já se inicia uma nova temporada de compras. As compras de final de ano são as mais lucrativas e movimentadas. Por isso, é necessário comprar com eficiência. O pensamento precisa ser voltado não só para o lado sentimental, mas também é necessário pensar o quanto o bolso pesará no final. Fazer listas de presentes, pensar em um bom presente de amigo oculto, porém em conta, pensar se sobrará um dinheiro para viajar no Ano-Novo ou para comprar uma roupa nova para passar o Natal… tudo isso deve ser incluso no seu planejamento, mas fique atento ao que os lojistas tentarão te empurrar a todo custo somente para vender. 

Muitos descontos oferecidos em anúncios não são muito confiáveis e acabam se tornando apenas estratégia para vender.  Com isso, é necessário aproveitar o mês de descontos com consciência e, com isso, evitar dívidas nessa época de promoções. Para te ajudar com isso, chamamos um educador financeiro profissional do Sicoob, que tem dicas incríveis para você não cair em qualquer proposta e não comprar por compulsão um produto que só aparenta estar com desconto, mas que, na verdade, não está com diminuição real do valor. 

Todo final de ano, nos meses de novembro e dezembro, pequenas e grandes redes varejistas anunciam a participação no maior período de promoções e descontos do país. Frenesi entre os consumidores, mesmo durante a pandemia, novembro de 2020 movimentou mais de R$ 5 bilhões nas lojas on-line e físicas, cerca de 30% a mais do que em 2019, segundo a Neotrust/Compre&Confie. Mas é possível aproveitar os descontos e, mesmo assim, fazer compras com consciência? Para auxiliar os consumidores nesta missão, o educador financeiro Eduardo Souza Trigueiro, do Sicoob, separou algumas orientações.

A Black Friday neste ano aconteceu oficialmente em 26 de novembro, ocorreu nas proximidades do início do mês de dezembro, em que também é esperado um crescimento nas vendas, principalmente em meio a tantas ofertas irresistíveis. No entanto, nem sempre esses descontos valem a pena.

“Percebemos em períodos anteriores que, muitas vezes, aqueles produtos anunciados como se estivessem em uma oferta tentadora estão muito mais caros do que o normal. É a metade do dobro. Imagino que esse ano não será diferente. Por isso a pesquisa dos preços ao longo do ano é fundamental”, diz Eduardo.

Se o consumidor já estava esperando um momento propício para efetuar a compra de determinado produto, vale a pena fazer a pesquisa do valor, evitando, assim, sustos futuros. Além da comparação, o educador financeiro listou outras formas de aproveitar as ofertas:

Evitando as compras por impulso

Geralmente, as pessoas não se planejam para este período, compram pelo impulso de ter um preço menor do que o anunciado antes. Portanto, sabendo da proximidade da data, veja se terá como arcar com a fatura do cartão de crédito. 

Cuidado com os parcelamentos

Evite parcelamentos longos. “No último ano, fomos pegos de surpresa com a pandemia da covid-19, e isso nos mostrou como a nossa situação pode mudar rapidamente, de um dia para o outro”, destaca. Para ajudar, pergunte-se: até quanto posso separar do meu orçamento para pagar essas parcelas?

Antecipe os presentes de fim de ano

Se você já sabe qual presente vai dar ao familiar e/ou no amigo secreto, tente aproveitar os descontos de novembro para já comprar as lembranças. É uma excelente oportunidade para antecipar os mimos. Se não deu tempo, não deixe para comprar em cima da hora. Geralmente, na última semana de dezembro, os preços costumam subir mais que o normal para pegar desprevenidos compradores que deixam a compra para o último momento. Não esqueça de se planejar e pesquisar. 

Faça um planejamento financeiro

Não precisa gastar mais do que ganhar e nem ser escravo de anotações para ter um planejamento financeiro. “Faça pequenas anotações colocando o limite da sua renda mensal, tirando os descontos na carteira e contas fixas”.

Acesse as Clínicas Financeiras

Se ainda assim você não conseguiu se organizar, acesse o site das Clínicas Financeiras Virtuais e agende um papo com o orientador financeiro do Sicoob. É simples, intuitivo e gratuito. “Por lá, nós damos dicas e ajudamos a fazer o planejamento financeiro. Não precisa ser cooperado ou ter qualquer ligação com o Sicoob. É um serviço voltado totalmente à população”, destaca Eduardo.

Entendendo um pouco mais sobre o Sicoob 

O Sicoob é uma instituição financeira cooperativa, que reúne mais de 5,3 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta-corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, marketplace, entre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em mais de 300 municípios. É formado por 360 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3.563 pontos de atendimento em 1.952 cidades brasileiras.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • ATENDIMENTO
  • Central de Relacionamento
    0800 642 0000
  • Atendimento Sicoobcard
    4007 1256 (Região Metropolitana)
    0800 702 0756 (Demais localidades)
  • Ouvidoria
    0800 725 0996
  • Deficientes auditivos e de fala
    0800 940 0458

Rua Espírito Santo, 505 – 3º Andar - Centro, Belo Horizonte - Minas Gerais, CEP 30.160-927

Garden - Consultoria e Marketing